>Diga não à violência contra a mulher!

by - novembro 29, 2011

>


Ultimamente eu tenho lido bastante em diversos lugares sobre a violência que acontece contra as mulheres. Os índices não mostram pouca coisa não. Esses dias eu recebi um livro para ler sobre um caso que houve há alguns anos atrás, o da Natascha Kampusch, quem aí já leu a história dela? É algo realmente muito assustador e nos mostra crer que o mundo está cheio de pessoas assim.

Enfim, para quem não leu ainda, eu vou explicar. Natascha era uma garotinha de apenas 10 anos e havia acabado de completar, era seu aniversário. Nos primeiros anos de sua vida, ela se considerava super mimada pela família e, assim, amada. Depois de um certo tempo, seus pais começaram a brigar e a quererem se divorciarem. O problema foi que ela se sentia deprimida com tudo isso. Vocês lembram quando eu falei aqui no blog sobre a separação dos pais?

Pois é! Isso sempre afeta muito aos filhos. Mas a história dela não foi só essa. Ao fazer os seus 10 anos, Natascha achava que já era grandinha e podia ir para a escola sozinha. E foi numa dessas que ela saiu de casa brigada com a mãe e não voltou mais. No meio do caminho, ela encontrou um homem encostado em uma caminhonete branca e chegou a pensar que um sequestro nunca poderia acontecer com ela, visto que ela se considerava gordinha. Contudo, eu digo: beleza física não é o que importa para ele, o sequestrador.

O livro que ela fez é basicamente contando a tortura que ela passou no cativeiro durante oito anos e meio. É realmente uma história muito triste. Mas tudo sob a visão dela, que esteve presa ali e sempre dependia dele, o sequestrador. Enfim, vamos entender um pouco como acontece a violência contra a mulher.

Quais são os tipos de violência contra a mulher?

- Violência intrafamiliar: É um tipo de violência que afeta o âmbito físico, psicológico ou até a liberdade de um entre os membros de uma família. Estudos revelam que a maioria dos casos, cerca de 80%, ocorrem dentro da casa da vítima, visto que os agressores são justamente pais ou irmãos biológicos ou adotivos. Os fatores que levam a isso são complexos, visto que são inúmeros, como fatores culturais, sociais, familiares, etc.

- Violência doméstica: Diferencia-se da violência intrafamiliar por incluir outros membros, que não sejam da família, mas que convivem no mesmo ambiente. Pode afetar ambos os sexos e não tem nada a ver com nível social, assim como pode acontecer em qualquer região e lugar do mundo. A violência inclui física, sexual, psicológica, abandono e negligência.

- Violência física: É o uso da força com o objetivo de ferir, deixando marcas ou não. Por exemplo, o que aconteceu com a Natascha foi a violência física também. Se ela fizesse algo considerado de errado para ele, ele jogava algo nela ou batia nela.

- Violência sexual: Na maioria das vezes, o agressor tem algum vínculo com sua vítima. Pode acontecer com qualquer uma mulher. O que ele pode fazer: abuso sexual de crianças, abuso sexual de pessoas com problemas mentais, atos violentos contra a integridade das mulheres, prostituição forçada, tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, etc.

- Violência psicológica: Uma das violências que mais afetou Natascha foi essa. Esse é o tipo de violência que torna a mulher com auto-estima baixa, causando algum dano a ela. Alguns exemplos: humilhação, insultos, chantagem, desvalorização (ele repetia inúmeras vezes que os pais dela não a amavam), ridicularização, exploração (ele mandava ela fazer os deveres de casa, como lavar, fazer comida e ela tinha que ser rápida), ameaças, etc.

- Violência econômica ou financeira: São ações agressivas que afetam indiretamente ou diretamente a vida econômica da vítima, como destruição de roupas, sapatos, objetos, documentos, animais de estimação, roubo de algo.

Os índices indicam que, apesar da existência da Lei Maria da Penha, nada diminuiu. Aqui e aqui você pode ler um pouco mais sobre isso. Meninas, se vocês já foram vítimas de alguma dessas violências, denuncie, não deixe isso impune por conta de medo, ou algo assim. O número para denúncia é 180, e você não precisa se identificar. Lembrando: O dia 25 de Novembro é o Dia Internacional do não à violência contra a mulher!

Meninas, mudando de assunto, para participar das estatísticas, clique aqui. Para ver quais os sorteios que estão rolando no blog, clique aqui. Agradeço quem ajudar nas estatísticas, ein!

You May Also Like

0 comentários