Desabafos de uma blogueira!

by - novembro 22, 2012



Não é fácil ser blogueira. As pessoas da internet me entendem melhor que as pessoas que eu convivo. É fácil dizer pro mundo lá fora quais são seus sonhos, mas é difícil o que você vai ouvir da boca deles. Força é o nome que eu tenho criado em mim depois de aprender com um livro que as dores nos causam prazer. Não é masoquismo. É acreditar que as dores são consequências de erros. Erros são, na verdade, aprendizados. Portanto, comecei a valorizar meus erros e esquecer dos outros.

Sei que muitas blogueiras se sentem com a falta de entusiasmo por aqui. Pra continuar algo você deve ter motivos. Muitas acabam deixando de lado, porque não possuem apoio. Pensam que ser blogueira é coisa de quem não tem o que fazer. E é isso que eu sinto todos as vezes que alguém aponta o dedo na minha cara. Ok, as lágrimas sempre caem. Não é fácil suportar uma dor sozinha.

Eu poderia mentir e dizer que isso não me atinge. Mas atinge. Só não faz, de maneira alguma, mudar a minha ideia com relação a isso. E ninguém (ninguém mesmo) me fará mudar de ideia. Enquanto os outros me criticam, eu recebo elogios quanto ao que eu faço. Existe algo mais gratificante do que isso? Sinceramente não.

Outro dia tinha terminado a aula na faculdade e, como de costume, estava indo embora passando pelos corredores do local onde estudo. Quando eu menos esperava um alguém que eu admiro muito, inclusive ele foi o meu professor semestre passado, chegou perto de mim com um sorriso enorme dizendo que tinha lido meu blog e que eu escrevia muito bem. Caramba! Quando eu ouvi isso, me senti outra pessoa. Meu sorriso logo ficou imenso e não consegui dizer mais nada. Só sorri.

Embora as pessoas que eu convivo não tenha percebido isso e pensa que eu tenho um vício. Eu digo a elas que tenho muito mais que isso: eu tenho amor diário. Aquele que se renova e abastece a minha vida. Me tornei outra pessoa depois do blog. Além de escrever pra vocês, eu aprendo. Aprendo sobre tudo: beleza, comportamento, sobre a vida de nós, blogueiros, sobre fotografia, leio livros.

PUTZ! Alguém aí conhece aquela velha história "eu odiava ler livros, mas bastou um só motivo para amá-los". O livro é uma vida. Eles dão lição de vida. Enquanto nossos pais nos recusam a nos presentear com livros, o mundo continua assim: cheio de gente que não perde uma oportunidade pra estar cutucando a vida alheia. Sabe, as pessoas me cansam. Me enojam. Pelos simples fato de se importarem mais com a vida dos outros do que com as delas.

Sim. Provavelmente eu sempre me afasto de pessoas babacas. Que só pensam no dinheiro, na ganância... e sei lá, dessas coisas fúteis de gente besta. Eu me afasto mesmo. E isso não faz falta. Aliás, quando a babaquice faz falta? Dane-se. Hoje vim falar de uma coisa que me motiva: escrever. Independente do que eu faça e aconteça, eu estarei com a mesma ideia de sempre. Não vou desistir de nada. E olha, Mundo, se você quiser desistir de mim, seja bem-vindo ao clube.

Falando nisso, Mundo, pouco me importo. As aulas de economia (sim, de economia) e de estatística (eles dois são os melhores psicólogos, eu acho) me fazem ter mais uma vez: desistir é uma ideia para os fracos. E bom o que eu tenho a dizer hoje é que apesar de tudo isso, eu me sinto feliz. Completa. Eu tenho comigo um alguém muito importante e que tem me dado força o bastante pra seguir com tudo isso. Não preciso citar nomes, porque, nesse instante, ele deve estar me lendo. Aliás ele sempre faz isso comigo. Obrigada. Obrigada mesmo.

E pra quem ama essa profissão (sim, ser blogueira é uma profissão), continue lutando por seus anseios, desejos e jogue fora seus medos. Ou controle-os. A vida é assim: uma vez a gente cai, mas quando a gente se levanta, tenha certeza de que a força é bem maior.

Beijos de uma eterna blogueira,
Karine Clessia.

You May Also Like

0 comentários