O que me fascina

by - novembro 04, 2012



Amo a visão lá de cima. Confesso que sempre sonhei em voar como um pássaro. Talvez seja esse meu sobrenome: aventura. Me fascina a ideia de ter uma visão ampla, poder enxergar os mínimos detalhes que somente quem sobrevoa consegue enxergar. Nos meus sonhos dizem bem como eu acredito que será daqui pra frente: simples. Fico me perguntando o porquê de as pessoas fazerem de pequenos detalhes um grande problema. Preciso entender!

O novo me fascina. E como! Incrível como é bom mudar. Eu agradeço todos os dias por amar as mudanças. Queria eu mesmo entender o medo das pessoas de mudar. Arriscar. Por que não? É incrível que, ao fazer isso, podemos obter coisas melhores. Conhecer novos mundos. Novas histórias. Mas as pessoas, talvez por comodismo, temem o novo. O que é contínuo tem a facilidade de perder a graça. Enquanto eu puder, eu mudarei. De palavras, idiomas, cidades, culturas, roupas, cor de cabelo e até de país, se for preciso.

Coisas simples. Enquanto a maioria das pessoas se preocupam com a marca do perfume que usa, em comprar o sapato mais caro ou ter o celular com um bocado de funções, eu penso nas coisas simples. Gosto de me emocionar ouvindo uma história incrível, suspirar com um abraço singelo, sentar na areia da praia, estar com a família e sentir frio. O que me fascina: é de graça e faz um bem danado.

A arte não só me fascina, como faz parte de mim. Percebi de uns tempos pra cá que tudo envolva arte me encanta: escrever (convenhamos, desta eu tinha certeza!), ouvir música, teatro (apesar de nunca ter feito nenhuma peça e nunca ter estudado artes cênicas), dança (principalmente ballet e dança do ventre), pintura, fotografia, arte digital, etc. A arte de escrever continua sendo a minha preferida. Ok, tudo da arte faz parte de mim e me fascina...

Ser chata é bom de vez em quando. Encher o saco da irmã porque ela falou a palavra de maneira errada (mesmo que ela saiba como é a correta), começar irritar alguém só por fazer. Ok, me fascina irritar alguém e me fascina mais ainda porque sei como fazer isso. E sempre consigo! Parece tosco tudo isso, mas irritar alguém me faz bem. E pode ter certeza: se faço isso com alguém, é porque tem um valor imenso na minha vida. Mesmo que esse alguém, algum dia, possa se tornar passageiro.

Viajar. Todo tipo de viagem me faz bem: mental, física ou sei lá. Qualquer uma mesmo. Viajar através da leitura tem se tornado meu passatempo favorito. Quando leio, eu me sinto em outro mundo. Eu me sinto em outro país, outra cultura e começo a enxergar a vida com... outras viagens. Pra quem tá estressado ou com a auto-estima baixa (ou qualquer outra coisa que necessite sair do tédio), leia, assista vídeos de histórias e experiências e viva. Mesmo que viver - nesse sentido - seja lendo ou assistindo. Porque toda letra e capítulo vale a pena.

Tentar. Por mais que as pessoas ousem a dizer que é ruim não estar conseguindo, eu digo e vou além é ruim não tentar. Sério! O que mais vale a pena pra você: tentar e conseguir (mesmo que isso demore bastante) ou ficar na mesma e não fazer nada? Vamos ser sinceras, tentar vale muito mais a pena! Tentar juntar dinheiro pra fazer aquela tão viagem sonhada, tentar dar uma chance pra alguém novo ou ser feliz em outro lugar. Porque tentar, na verdade, é uma forma de ser feliz. Tentar é correr o risco. E posso ser sincera? Amo ter a sensação de insegurança. E é isso que me fascina: me sentir insegura.

Desapegar. Tenho lido textos, frases e algumas ideias bem interessantes que me fizeram refletir sobre o desapego. Provavelmente essa palavra que tenha me feito sofrer há alguns tempos atrás, hoje eu paro e lembro: como tudo me fez tão bem. Sim, porque desapegar faz parte de nossas vidas. Você querendo ou não, algo ficará pra trás. As escolhas que fazemos diariamente faz com que deixamos de lado algumas pessoas, lugares em determinadas situações. Quer saber? Amo o desapego e praticarei sempre que possível.

Hoje eu li um texto que fiz há alguns meses atrás sobre o desapego de um cara que eu estava apaixonada. Posso ser sincera? A melhor decisão que tive foi a de me desapegar dele. Percebi que quando tiro da minha vida as pessoas erradas (ele não é errado, ele só era a opção errada pra mim), as pessoas certas aparecem (entenda que certo é aquele cara todo errado mesmo, mas que, no fundo, ele é o certo pra você - ou pelo menos talvez ele seja o certo por um tempo).

Que alguém que eu admiro muito confesse pra mim que não seja tão forte assim quanta aparenta ser. Principalmente homens. Percebi que homens mediante a sociedade (turma de amigos e pessoas conhecidos) são tão brincalhões, fortes e convictos do que falam, mas, no fundo, descobri que eles possuem um lado sentimental. Essa é a melhor parte: existe coisa mais linda saber que homens choram e temem por isso? Que aquele cara metido a durão só se faz? Porque, na verdade, esse cara, algum dia, vai demonstrar sua fraqueza. MAS acredite: ele só vai demonstrar isso pra alguém em quem ele possa confiar.

Ok, existem muitas outras coisas que me fascinam. Mas, convenhamos, saber de tudo faz as coisas se tornarem mais fáceis. A vida só tem graça porque não sabemos o que vai nos acontecer amanhã, depois de amanhã e depois depois de amanhã. Sinceramente? Amo essas dúvidas que, segundo Shakespeare, são traidoras.

Uma dica: melhor errar tentando do que nunca ter tentado. A dor de quem nunca tentou é bem maior do que aquele que tentou, viveu e descobriu que errou. Porque mesmo que ele tenha errado, ele viveu.

You May Also Like

0 comentários