Sobre perder alguém antes da hora

by - dezembro 16, 2012

casa-menina-telhado

Me guardei durante muito tempo, mas tem coisas que acontecem. É, eu sei. Nós nunca estamos preparados para uma perda. Ainda mais perder alguém que nunca imaginamos perder. Tudo é tão ruim aqui dentro. Porque não sabemos quando isso vai acontecer, aliás sempre achamos que teremos aquela pessoa ao nosso lado. Seja pai, mãe, esposa/marido ou qualquer outra pessoa que temos afinidade. Difícil né?

Estou lendo um livro que trata bem disso. A dor é forte, quase uma dor insuportável. Afinal, sempre achamos que fizemos pouco demais. Que aquela pessoa deveria ter visto o nosso melhor. Mas no decorrer do dia-a-dia as tarefas diárias nos desviam do nosso carinho e atenção. E nós ficamos sempre no "e se". E se eu tivesse sido mais cuidadosa, e se eu tivesse sorrido mais, e se eu tivesse sido mais bondosa com aquela pessoa.

A minha rotina sempre vai estar inserida de uma maneira triste, porque acabamos esquecendo de valorizar algumas pessoas. Ou não. Desculpe pelo meu erro, nós valorizamos sim. O problema é que perder alguém assim, sem nenhum motivo e repentinamente causa dores maiores ainda. Como a dor da culpa. Mas não é bem assim.

Sempre damos nosso máximo a alguém por mais que aconteçam as brigas ou momentos tristes. Algumas pessoas se doam mais e outras menos. As datas importantes como o Natal ou o Ano Novo algumas vezes ficaram para trás. Mas sei lá, sabe. Acho que isso agora não importa, porque sei que aí dentro a dor continua sendo grande, não importa o tempo. Mas aprendi, com algumas leituras, que as pessoas não têm fim. Porque nós sempre nos lembraremos dela.

Por isso que sempre gosto de ouvir o que os mais velhos e experientes têm a dizer: da vida não levaremos nada, nós só deixaremos o que fizemos. E pra ser sincera, é verdade. As pessoas vão se lembrar do que nós fazemos de bom por aqui. Se as coisas aconteceram dessa maneira, era porque tinha que acontecer. Não se culpe. Você se doou ao máximo, o seu máximo. E isso agora que importa.

E sobre o livro (eu ainda farei uma resenha aqui no blog) eu digo: quando a vida te der alguma rasteira desse tipo, pare e pense a sua volta os motivos que levaram isso a acontecer. Eu ainda sou daquelas que tudo acontece por algum motivo. E mesmo que seja tão ruim, eu digo que ninguém se vai. A presença permanece.

A presença permanece.

You May Also Like

0 comentários