O que o dinheiro não compra

by - janeiro 09, 2013

táxi Tecnologia tomou de conta do mundo. E as pessoas estão indo também. Só indo mesmo. Mas nem é disso que quero falar agora. Ontem aconteceu uma coisa comigo que me ofendeu. Me senti um material. E sabe aquelas palavrinhas mágicas que a gente aprende quando é criança? Parece que as pessoas estão esquecendo de usá-las. E as vêem como nada. Muitos pensam: Ah nem precisa mais usar, é inútil! Quem me acompanha aqui no blog sabe (ou pelo menos já deve ter lido algum lugar) que eu amo as coisas simples da vida. E li recentemente um texto que dizia bem que a felicidade somos nós que fazemos. Mas a verdade é que nunca estamos satisfeitos com o que temos. Sempre queremos algo mais. Talvez a insatisfação tenha seus lados positivos, mas ela também tem seu lado negativo. Estou escrevendo esse texto porque me vi na obrigação de fazer entender (mesmo que seja a mim mesmo) que ainda as pequenas atitudes fazem toda a diferença. Muita gente fala bobagem e a magoa sem perceber. Fala bobagens quando não se deve dizer. Por isso aquela velha frase: "a palavra vale prata mas o silêncio vale ouro". E é isso mesmo: o silêncio vale ouro. Falar bobagens demais atinge as pessoas. E foi isso que aconteceu comigo. Além disso, a brisa do mar me enaltece, me traz uma paz muito grande. Sabe uma coisa que amo fazer, mas que eu não costumo dizer? Amo conversar com o mar. Parece coisa de doido, mas não é. Ele me dá os melhores conselhos e, sem contar que, consegue me fazer rir.  Bobo não? Mas o dinheiro não compra o prazer de estar lá, junto dele. O dinheiro não consegue comprar os sentimentos, uma das coisas mais lindas de se ver. E de sentir, claro. A respiração próxima uma da outra, o sorriso bobo, os olhares enfeitiçados (e apaixonantes), a vergonha de demonstrar algo tão importante. Ele não consegue comprar o dom. Pode pagar algum curso pra conseguir aprender algo, mas nascer com o dom já é algo diferente. Não compra o caráter, o respeito. Muito menos a felicidade. Falando sério... podia ser fácil ser feliz, se muito das coisas que fazemos e vivenciamos no dia-a-dia dependesse apenas da gente. E realmente depende. Mas a felicidade não é cem por cento. E talvez seja isso mesmo. E sei lá. Isso de falar que o dinheiro não compra é clichê, mas a verdade que as pessoas estão esquecendo dos valores da vida e se importando mais com o valor do dinheiro. Só pra constar: fiz esse texto, porque me senti, naquele dia, como se alguém tivesse em mim como se essa pessoa tivesse poder de algo. Mas não, meu bem. Você não vai me comprar. Nem que seja com uma passagem e tudo pago pra fazer um tour na Europa. Não preciso disso, porque sei que a minha maior felicidade é conseguir algo sozinha, não com a ajuda desnecessária (comprando alguém é desnecessária) de alguém. post-feito-karine-clessia

You May Also Like

0 comentários