Livro Virtual: O caminho da felicidade

by - abril 18, 2013

balanço flores natureza

Comecei a atravessar uma ponte que dava espaço para um ambiente lindo. E, ao caminhar, percebi as belezas das árvores floridas, das borboletas e pássaros sobrevoando aquele céu límpido. Eu poderia jurar que eu sabia o que era belo, até encontrar um enorme jardim escondido. As pessoas não se preocupam com a beleza do verde da mata nem com o azul da cor do céu. Eu nunca contei pra ninguém, mas azul é a minha cor favorita por causa do céu.

Depois de muito ter andado, encontrei um balanço pequeno com uma decoração incrível. Eu pensei que poderia entender um pouco de decoração com um toque especial de amor. Mas o que aconteceu, na verdade, foram efeitos especiais de um filme na época do Natal. A época mais linda do ano.

Era tão bom permanecer sentada nesse balanço, eu pensei. Nada me tira da cabeça que as pessoas por ali, do outro lado da ponte, são pavorosas. Eu não dividiria as pessoas em boas ou más. As atitudes correspondem às suas ações. E não vou julgá-las por preferirem um céu cinza, pontes que seriam capazes transformar pessoas que têm poder. Aliás, já percebeu que as pessoas preferem o poder ao amor?

É inútil tentar decifrá-las. É inútil mesmo. Lá na faculdade comecei a estudar sobre as pessoas. E o quanto é importante fazer com que administremos essas pessoas. Mas, cá pra nós, não administro nem eu mesma. Quanto mais outras pessoas.

Foi aí que eu comecei a anotar no meu caderninho. Uma das coisas que mais gosto de fazer: anotar ideias e sonhos. Outra coisa que gostaria de dizer: tenho medo dessas pessoas. Elas destroem nossos sonhos através de bombardeios de palavras. Se não conseguir no primeiro tiro, elas apontam a arma meio avermelhada pra tentar a segunda e a terceira. Mas a primeira é sempre a pior.

Sai do balanço e fui em direção a um lago que havia ali perto. Desde criança eu tive medo de entrar em lugares que eu não sabia a sua imensidão. Tinha medo por não saber se se eu pisasse, eu realmente estaria com os pés no chão. A maioria das vezes que pus meus pés dentro da água, eu não conseguia enxergá-los. E eu tenho medo de que algo aconteça por não ver ou sentir. Pisar num local desconhecido sempre me deu muito medo. E é por isso que eu sempre evitei entrar em lagos. E alguém roubar meu coração também.

Mas fui porque depois que li num desses livros, que andam guardados dentro da minha  estante, aprendi que a gente deve matar nossos medos. É como se fossem os objetivos diários. Temer e, ao mesmo tempo, lutar para vencer esses anseios. E foi aí que comecei a colocar meus pés dentro da água pra senti-la.

E comecei a fazer uma das coisas que eu mais amo: pensar. Acho que se eu pudesse escolher meu nome, esse seria, e não Chiara. Até que eu gosto de vez em quando da delicadeza que ele pode transmitir. Um pouco de criatividade e o restante de simplicidade. Posso te contar um segredo? Sempre pensei em fugir pra outro país, conhecer uma cultura totalmente diferente da minha, um lugar onde eu pudesse me guardar de todos os males, um lugar onde as pessoas
sorriem a todo instante, mesmo que estas não tenham motivos, um lugar melhor.

Mais quanto mais eu procuro, mais fico certa de que todo lugar aqui tem lá seus defeitos. Que triste. Queria mesmo correr feito criança pelas ruas do jardim. Que estranho falar assim né? Um jardim com ruas. Mas por que não? Quero ver a simplicidade nos prédios altos da cidade grande, nos sapatos mais caros, nos carros luxuosos. Você entendeu o paradoxo? As pessoas estão suprindo suas necessidades com um bem que, convenhamos, daqui a alguns dias, esses não mais existirão.

Enquanto eu me perdia nos meus pensamentos, senti as mãos de alguém vindo em direção aos meus olhos. Não consegui ver quem era, apenas queria que eu adivinhasse quem era. Oras! Como alguém pode interromper minhas ideias desse jeito? Eu sempre ficava irritada com esse tipo de coisa. Principalmente quando eu conversava sozinha. Eu sempre adorei fazer isso. Podia ser loucura, mas enfim...

- Quem veio me interromper? - Eu disse já meio brava

- Adivinha - o suposto alguém desconhecido falava

- Não faço a mínima ideia.

Depois de uns instantes nessa brincadeira tola, ele tirou suas mãos e permitisse que eu o enxergasse. E foi aí que o cara meio alto, tinha uns 1,75 de altura (eu acho, nunca tive muita noção dessas coisas), começou a puxar assunto comigo. Queria saber da minha vida assim sem mais nem menos. Perguntou meu nome, me elogiou diversas vezes e blablabla. Comecei a bocejar.

Tenho mania de que quando alguém fala muito (e se torna inconveniente e chato), eu bocejo. Só pra dizer: estou cansada de você, já pode parar de falar. Mas parecia que quanto mais eu sorria (aquele sorriso sem graça), mais ele fingia não entender meus gestos. Que droga. Garoto insistente! Eu já ia mandando ele calar a boca, quando ele diz:

- Agora tenho que ir. Mas mais tarde a gente se fala! Qual é o seu número mesmo?

"Que idiota! Será mesmo que ele não entendeu que eu não quero", eu pensei. Mas aí como sou generosa (imagina se não fosse), eu dei meu número. Pra ele ir embora logo de uma vez. Eu, ainda sentada, vi o cara chato ir embora. E tentei voltar para os meus pensamentos, mas... adivinha. Não consegui.

Olá! Em uma tarde triste comecei a escrever sobre a vida dos meus sonhos. E decidi que, a partir de hoje, irei postar sobre o meu livro virtual aqui. E, claro, não poderia ser diferente: é um romance baseado em fatos reais. É claro que tudo teve alteração e... bom, o enredo você ficará sabendo no decorrer da história. Espero que gostem! ♥ E, ah, quem quiser acompanhar o livro terá duas opções: clicar na categoria Livro Virtual ao lado ou lá em cima (como uma página que eu colocarei todos os capítulos).

post-feito-pela-karine-clessia

You May Also Like

14 comentários

  1. Amei a história. Já estou ansiosa para mais capítulos, quero saber o que vai acontecer, fiquei super curiosa.
    Tu escreve muito bem, gostei muito. Beijão <3

    www.detalhesamor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Thayna Nascimento18 abril, 2013

    Amei, sério vc tem o dom de escrever, ta muito lindo, os detalhes são os que eu mais amei, pq são os detalhes que a gente imagina, são eles que completam a historia

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigada *-* É verdade. A gente sempre se importa com os detalhes :))

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigada ♥ Vou escrever mais em breve. :)))

    ResponderExcluir
  5. Gostaria de um lugar assim para viver!!!!

    bju

    www.borboletamaquiada.com

    ResponderExcluir
  6. Amei esse também e nem preciso falar que estou ansiosa para o próximo capítulo né?!
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  7. [...] ♥ Livro Virtual: O caminho da felicidade (Romance) [...]

    ResponderExcluir
  8. Posso dizer uma coisinha??-Amei...Posso dizer mais??
    Menina você tem um dom,nasceu para ser escritora, poetisa,jornalista...Toda profissão que envolve escrever, você conseguiu capturar os mínimos detalhes e passou toda a sua emoção.
    Parabéns!!!Vou continuar lendo!!

    ResponderExcluir
  9. Nossa! parabéns, quanto talento, também sou escritora e posso garantir que você tem futuro!
    Vi que vc estuda administração? Outra coincidência, sou formada na área, rs e tbm sou blogueira, olha que coisa!!!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Karine Clessia10 agosto, 2013

    Nossa, quanta coincidência. Ainda não me formei, estou na metade do curso. Mas ser escritora é algo muito lindo. <3

    ResponderExcluir