Batendo a porta

by - novembro 20, 2013

porta

Quero bater na sua porta mais uma vez e pedir pra entrar. Mas não vai bastar. Sim, porque se eu bater na porta será só mentalmente. Diziam que a distância era sinônimo de afastamento. Eu discordo. A distância me une a outro alguém bem mais a quem já convive comigo, perto de mim (mas tão longe mentalmente). Se é que me entendem.

Toda vez que a campainha toca, imagino que é você abrindo um sorrisão com a mochila nas costas. Quando vejo o sofá, vejo sem querer (mentira, quero mesmo te ver ali) mexendo no celular e assistindo programas de animais, como sempre eu te via e você gostava. E sei como adora.

Eu costumava te abraçar e sentir sua respiração sem precisar falar nada. E isso bastava. Um sorriso. Um olhar. Ou até mesmo bater a porta. Qualquer sinal era motivo de animação pra mim. Eu me sentia outra pessoa, sabe? Ainda não sabia qual, mas agora eu sei.

Sabe quando, na sua vida, você tem todos os motivos pra desistir, mas seu coração, corpo, alma e mente desejam exatamente a mesma coisa? Pois é. É assim que eu me sinto. Talvez eu pudesse ter minhas dúvidas lá no começo, mas quando o tempo passa... ah, meu amigo, ele acaba tirando todas as dúvidas.

Enquanto não bater a minha porta, estarei aqui contando as moedas (e o tempo) pra te rever novamente. É fácil escrever, é fácil falar. Mas é inadmissível dizer pra mim mesma que seria impossível. Afinal, aos olhos de quem vê, o coração acaba sentindo.

E eu vou bater a sua porta, porque eu sei que lá é meu lugar.

Imagem: via

Onde me encontrar: FacebookInstagramTwitterGoogle +

leia todos os posts da karine clessia

You May Also Like

4 comentários

  1. Portas e mais portas existem,quanto mais a distância mais forte se tornam os laços...Não sei se eu entendi de um jeito diferente,mas ficou gravada uma coisa,que se tem de ser será,e,se é,continuará.
    Linda amo seus textos<3

    ResponderExcluir
  2. Karine Clessia23 novembro, 2013

    E que continue! ♥

    ResponderExcluir