Resenha: Cidades de Papel

by - março 08, 2014

livro do dia

Quem é que cada dia está mais animada com os livros do John Green? Quem? Quem? Quem? Se eu pudesse até lia a lista de compras do supermercados dele! Há alguns dias terminei de ler Cidades de Papel e já encontrei o meu nome livro favorito do John. Sem sombra de dúvida é o melhor livro que eu já li do autor!

Cidades de Papel conta a história de Quentin Jacobsen que nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman  desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma.

Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte.

Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.

"Basta lembrar que às vezes, a forma como você pensa sobre as pessoas não é a maneira como elas realmente são".

Como descrever Cidades de Papel além de maravilhosamente maravilhoso? John Green soube mais uma vez me fazer cair de amores por seus personagens, rir com eles em algumas cenas e em outras querer abraça-los e nunca mais soltar.

John criou mais uma personagem perfeita e inalcançável, como vemos em Quem É Você Alasca.  Margo Roth Spiegelman é aquela tipica aluna popular do colégio e Quentin o tipico nerd apaixonado por ela. Mas o que ele não sabe é que Margo é completamente diferente da garota que ele conheceu quando criança e da garota que ele criou na sua imaginação. Conforme Q. vai a conhecendo conforme segue as pistas que ela deixou, ele começa a perceber que ela não é exatamente a garota que ele conhecia.

Os personagens foram muito bem trabalhados e não há como não amar Quentin e Margo, apesar dela ser complicada, acredito que todos tem um Margo Roth Spiegelman dentro de si. E, claro, não rir com as cenas do Ben e com a coleção de Papais Noéis negros do Radar. Os amigos de Q. não poderiam ser mais engraçados!

É com humor e sensibilidade que a história vai fluindo e te prendendo cada vez mais em cada capitulo. Sem dúvida, para mim,  Cidades de Papel é o melhor livro do John Green (escrito somente por ele)!

E feliz dias das mulheres!

E aí, o que achou do livro? Já leu? Qual seu livro favorito de John Green?

leia todos dekarine monteiro

You May Also Like

2 comentários

  1. Sera que só eu nunca li nada do John? *-*
    feliz dia das mulheres também \o

    ResponderExcluir
  2. Amei, to mais empolgada ainda pra ler *-*
    http://andressabelizario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir